Amamentação não é vergonha!

Amamentação não é motivo para vergonha! - Instituto Helmont

Você sabia que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o bebê seja alimentado exclusivamente por leite materno até os seis meses?

Sim, isso porque o leite materno, além de alimentar, fortalece o sistema imunológico do bebê e protege contra diarreias, infecções respiratórias e alergias, ajudando, também, na digestão e no desenvolvimento ósseo e muscular da criança.

O ato de amamentar também é importantíssimo para a mãe, pois reduz o risco de câncer de mama e de ovário, ajuda na contração do útero pós-parto e ainda fortalece o vínculo entre mãe e filho.

No início da vida é importante que o bebê mame em livre demanda, ou seja, sempre que sentir fome. Caso isso não ocorra, a criança pode ficar irritada, chorar com facilidade e interferir no ganho de peso. Sendo assim, é importante que a mãe o amamente, independente do local em que estiver. Entretanto, amamentar em público ainda é considerado um tabu, por deixar expostos o seio e o mamilo da mãe, mesmo não existindo nenhuma lei que torne este ato ilegal. Proibir a mulher de amamentar em público é não reconhecer o direito da mulher ao seu próprio corpo, é a sexualização exagerada do corpo feminino, é a visão equivocada de que a mulher não é reconhecida, senão como um objeto sexual, e isso tem de mudar.

Por isso mamãe, amamentar é um direito seu! É um ato importante e único de amor, cuidado e carinho. É uma ação linda capaz de criar um vínculo especial entre mãe e filho, e não deve ser tratada como uma vergonha.