Importância da Vacina contra Poliomielite

Importância da Vacina contra Poliomielite - Instituto Helmont

Para entendermos a importância da vacinação contra a poliomielite, precisamos entender primeiramente o que é esta doença.

A Poliomielite é conhecida popularmente como paralisia infantil, pois acomete, em grande parte, crianças de até 4 anos, mas pode atingir adultos também. É transmitida através de secreções, como saliva ou fezes infectadas, se multiplicando principalmente no intestino do indivíduo afetado. Uma vez dentro do corpo a doença pode não se manifestar, ou seja, ser assintomática, ou se manifestar de formas diferentes.

– Poliomielite não paralitica sintomática: não causa paralisia e pode apresentar sintomas muito similares a outras infecções virais, como a gripe por exemplo, deixando o paciente constipado, com vômitos, diarreia, dor de garganta e no corpo e dificultando o seu diagnóstico.

– Poliomielite com paralisia flácida, que atinge os nervos da medula espinhal, ocasionando paralisia de membros inferiores (pernas). Essa variante pode também atingir células do cérebro e tronco cerebral e ocasionar morte por perda de músculos respiratórios.

Depois de contaminada, mesmo assintomática, a doença pode ser transmitida através das fezes e contaminar solo, água e alimentos.

A contaminação ocorre principalmente devido à falta de saneamento básico de qualidade e de medidas de higiene adequadas. O uso de água de má qualidade para preparo de alimentos, ou o preparo de refeições sem os devidos cuidados com a higiene, facilitam a proliferação do vírus.

A vacina é distribuída pela rede pública e recomenda-se tomar a primeira dose aos 2 meses de vida, sendo necessárias 3 doses, com intervalo de 60 dias entre elas. Ou seja, a primeira dose aos 2 meses, depois aos 4 e aos 6 meses, de forma injetável, com uma dose oral de reforço aos 15 meses. Até completar 5 anos de idade, é necessário que se faça também o reforço anual da vacina, em forma oral, a famosa gotinha. A vacinação nas campanhas (gotinhas) é muito importante, mesmo que seu filho já seja vacinado, pois ela faz o que chamamos de vacinação em rebanho, e projete outras pessoas ao seu redor pela eliminação intestinal de parte da vacina.

Muitos pais acabam não vacinando seus filhos pois desconhecem o sofrimento que essa doença pode causar tanto para o indivíduo afetado, quanto para seus familiares. Felizmente temos maneiras de prevenir nossos pequenos! Não se esqueça de vaciná-los!